fbpx

Representando o Instituto de Protesto MG, funcionários visitam a Casa de Apoio ao Portador de Doenças Crônicas Amor à Vida

No dia 10 de dezembro, os funcionários Marli Dias e Ronália Silva, do setor comercial; e Washington Oliveira, do setor de marketing; visitaram a Casa de Apoio ao Portador de Doenças Crônicas Amor à Vida, última instituição contemplada pelo Protesto Solidário de 2019.

Localizada na rua Gumercindo Couto e Silva 765, Bairro Itapoã, na cidade de Belo Horizonte, a Casa, que é filantrópica sem quaisquer fins lucrativos, foi fundada em 2013, mantendo-se sem qualquer vínculo a nenhuma instituição religiosa ou qualquer partido político e tem por missão promover a assistência social e a segurança alimentar e nutricional à crianças de 0 a 18 anos com doenças crônicas e raras, como Paralisia Cerebral, Hidrocefalia, Síndrome de Arnold-Chiari, Displasia Óssea, entre outras.

São prestados serviços de ajuda material como suplemento alimentar, fraldas descartáveis, sondas, cateteres, cama hospitalar, cadeira de rodas, muletas, produtos de higiene e limpeza, agasalhos, móveis, eletrodomésticos e também apoio jurídico, psicológico e recreativo, através de um trabalho qualificado e inovador.

Atualmente 49 crianças são atendidas, 22 meninas e 27 meninos. São crianças carentes, que precisam muito da ajuda. Todos os meses são repassadas fraldas geriátricas e suplementos alimentares. A instituição ajuda também toda a família das crianças, com cesta básica e roupas. As doações recebidas são repassadas para as famílias dos assistidos.

Segundo Eide Candida Assis, auxiliar administrativa da instituição, o valor doado pelo Instituto de Protesto de MG será utilizado para comprar os suplementos alimentares, que são muito caros, pois são produtos específicos. Mesmo com o convênio firmado com uma farmácia para que o valor diminua um pouco, o acesso é difícil.

Eide nos informou que as crianças não ficam na instituição, pois a casa funciona como ponto de captação de recursos e de doações. Além disso, muitas das crianças passam parte do tempo na escola e alguns ficam integralmente em casa, pois são acamados. Entretanto, ela ressaltou que o contato coma família é contínuo. Ela informou, também, que a equipe conta com uma assistente social e de enfermagem para fazer o acompanhamento.

Para a funcionária Marli Dias, a experiência de conhecer a instituição foi gratificante, primeiramente porque é visível que o atendimento às crianças é feito com carinho. Além disso, ela disse ter se comovido com as histórias dos assistidos, pois a maioria das crianças, além do problema de saúde, possuem problemas financeiros, já que as famílias em geral são marginalizadas e com pouca estrutura devido ao caos social em que vivem nas comunidades. Entretanto, Marli considerou que o amor e a solidariedade prevalecem na instituição.

Para Ronália Silva, foi praticamente impossível descrever o sentimento após a visita à instituição. Todavia, ela destacou o exemplo de amor ao próximo e que é interessante o fato de que cada criança tem sua particularidade, mas que a atenção recebida é a mesma. “É muito bom perceber que ainda existe humanidade e empatia por parte das pessoas. Isso nos faz repensar no que podemos fazer pelo próximo. Me senti privilegiada de ter participado desse momento e de vivenciar essas emoções”, relatou.

Já Washington Oliveira destacou o comprometimento dos funcionários e a paixão com a qual eles

trabalham, o que demonstra que, de fato, o objetivo não é financeiro. “O carinho pelo trabalho é genuíno e a intenção é realmente conseguir ajudar ao máximo as crianças”. Além disso ele ressaltou a organização do espaço em que ocorre a tentativa de captação dos recursos.

O encaminhamento das crianças é feito pelas instituições em que fazem acompanhamento com equipes multidisciplinar. O serviço social as envia conforme a necessidade de cada família e direciona à Casa para que sejam ajudadas.

Para que a ação se mantenha, a instituição conta com a solidariedade da sociedade civil, com doações de todas as espécies.

As doações podem ser feias pela conta bancária abaixo:

Banco Itaú

  • Agência: 3101
  • Conta: 08728-0
  • Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3427-9264.
  • Os projetos abraçados pelo IEPTB – MG, além de apoio financeiro, recebem e necessitam de outras formas de auxílio para a manutenção dos seus atendimentos. Todos podem contribuir para que as instituições continuem prestando um acolhimento digno e humanizado aos seus assistidos.

Que tipo de documento deseja enviar a protesto?

A legislação atual não permite o protesto de cheques e notas promissórias de forma eletrônica, recomendamos que se direcione ao cartório de protesto de posse do documento para protestá-lo.

Para localizar um cartório acesse: https://protestomg.com.br/localize.