fbpx

NAVE, primeira instituição contemplada pelo Protesto Solidário 2020, recebe visitas de funcionários do Instituto de Protesto – MG

No dia 20 de janeiro, os funcionários Josefa Miranda, do setor de Serviços Gerais, Linds Soares, do setor de Marketing e Alan Mendes, do setor de Atendimento visitaram a primeira instituição contemplada pelo Protesto Solidário em 2020: o Núcleo Assistencial Veleiro da Esperança (NAVE).

A instituição é voltada para mulheres e crianças em situação de vulnerabilidade vitimadas pela violência intrafamiliar (em especial crianças e mulheres vítimas de abuso sexual). Está localizada na região do Bairro Ana Lúcia, ao lado da comunidade Barraginha, em Sabará, na área limítrofe a Belo Horizonte, Minas Gerais. O NAVE foi fundado em 1985 por um grupo de pessoas sob a filosofia espírita kardecista com fins nos pressupostos da educação popular na construção identitária do sujeito excluído.

O público atendido contempla idosos, crianças e mulheres. No entanto, a instituição também investe no potencial de trabalho da comunidade local e também de oito municípios com encaminhamentos diversos no campo da violência.

Segundo a coordenadora-geral Lucileide Malaguth Colares, o diferencial da instituição é a Ação Circular: a pessoa entra um dia como atendida e, depois, por gratidão, retorna ao NAVE como atendente. Hoje há profissionais de várias áreas como voluntárias ou como funcionárias que um dia foram mulheres atendidas.

Desde sua fundação, a violência permeou todas as histórias ouvidas e, por isso, tornou-se eixo de luta. Diversas ações como cursos, rodas de conversa, seminários, fóruns e um Congresso Internacional foram realizados desde o início, fortalecendo a ação de enfrentamento e de combate aos direitos do sujeito violado.

Para Josefa, que participou pela primeira vez de uma visita relacionada ao Protesto Solidário, o espaço, que atende 250 pessoas por mês, mais as 600 atendidas de forma indireta, impressiona, principalmente o ambiente das crianças. “O local é muito organizado. Mais impressionante, ainda, é o trabalho feito com o fuxico. “Achei muito interessante quando a coordenadora nos contou que enquanto as mulheres vão “fuxicando”, a equipe fica sabendo das histórias e, a partir daí, torna-se mais fácil identificar as violências, já que muitas mulheres e crianças têm dificuldade quando estão no consultório, conversando sobre o assunto com o psicólogo”, destaca.

Para a funcionária Linds, visitar a instituição foi muito positivo. “A Lucileide nos recebeu com muito carinho e nos explicou detalhadamente o funcionamento, o trabalho e as necessidades da instituição. Nos contou também algumas histórias de superação e de esperança, o que nos faz repensar sobre o nosso modo de olhar a vida”, relatou. “Aproveito para agradecer ao Instituto por mais essa oportunidade e parabenizar por, mais uma vez, fazer a diferença na vida de muitas pessoas”.

Já para o funcionário Alan, o destaque foi o atendimento comunitário e a acolhida total da população, com ações nas áreas da educação, da saúde e da geração de renda dos próprios projetos internos; como o bazar, que é aberto à comunidade do próprio bairro, além da venda de hortaliças cultivadas pelos próprios pacientes da instituição. “Mesmo com recursos escassos, o NAVE trabalha arduamente para o atendimento das pessoas, seja por meio de tratamentos convencionais, como acesso à psicologia e medicação, seja por meio da medicina integrativa, que se baseia na individualidade do paciente, levando em consideração sua personalidade e sua forma de se relacionar com o mundo, o que é fundamental para novamente poder sonhar e superar o trauma vivenciado pela violência doméstica”, detalhou.

Lucileide destacou também que os idosos, que hoje são os grandes mantenedores das famílias, têm a possibilidade de participarem do projeto Movimente-se, praticando ginástica duas vezes por semana por R$25,00 mensais. Dentro desse valor também está incluso um baile, duas excursões e uma festa junina para os participantes. Além disso, vale enfatizar que pessoas já atendidas na instituição, ou advindas do CRAS, CREA ou associações, e também a população em geral podem buscar remédios no local, bastando apresentar a receita.

Por fim, a coordenadora revelou que o valor doado pelo Instituto de Protesto – MG servirá para reformar o telhado e fazer pequenos reparos causados pelas últimas chuvas.

Para que a ação se mantenha, a instituição conta com a solidariedade da sociedade civil, com doações de todas as espécies.

CONTATO

Para mais informações, entre em contato por meio do telefone (31) 3166-7938, do e-mail equipenave.com@gmail.com ou pela página do Facebook:

www.facebook.com/NaveNucleoAssistencialVeleiroDaEsperanca.

Os projetos abraçados pelo Instituto de Protesto – MG, além de apoio financeiro, recebem e necessitam de outras formas de ajuda para manutenção dos seus atendimentos.

Que tipo de documento deseja enviar a protesto?

A legislação atual não permite o protesto de cheques e notas promissórias de forma eletrônica, recomendamos que se direcione ao cartório de protesto de posse do documento para protestá-lo.

Para localizar um cartório acesse: https://protestomg.com.br/localize.